Colecionador – Parte Dois

Olá, meu bom leitor.

Estou com um monte de ideias para postar, então vamos correr atrás do tempo perdido.

Continuação do conto que iniciei há um tempo aqui no blog.

Para quem não leu a primeira parte, segue o link:

 Parte 1

Tenha um ótimo ponto para ler!

Colecionador – Parte Dois

– Não quero te deixar apreensivo ou muito menos preocupado – disse o Colecionador – mas você tem algo que eu preciso.

O rapaz estava paralisado de medo e não sabia o que dizer, apenas fitava o ser desfigurado e gélido a sua frente, os relinchos que ouvia do cavalo faziam sua pele arrepiar cada vez mais.

O Colecionador passou a ponta do seu indicador na testa do seu prisioneiro.

– O medo é algo impressionante.

O toque de pele fria atormentava o rapaz.

– O medo é algo apropriado.

O relinchado do cavalo soou alto.

– O medo é algo…

– Pare! – gritou o rapaz – Se for para me matar, mate-me logo, eu simplesmente não suporto mais essa pressão.

O Colecionador riu.

– O medo é algo que alimenta.

O grito de dor ecoou por todas as construções abandonadas que se desfaziam uma por cima das outras.

Você irá gostar de ler também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *