Crítica de livro | Menino de Deus: A história de um sequestro

Olá, meu bom leitor.

Hoje vou falar as minhas impressões sobre o livro Menino de Deus: A história de um sequestro, do autor nacional Lindoberto Ribeiro.

O livro narra a história de dois detetives particulares, Nestor e Branco, na cidade do Rio de Janeiro. Eles recebem um serviço de um americano milionário para descobrirem o paradeiro de sua ex-esposa, que fugiu com seu filho junto com uma seita. As únicas informações que ele passa aos detetives é que o último paradeiro em que os dois foram vistos foi aqui no Brasil. E assim começa a saga dos dois detetives e seus auxiliares para encontrarem mãe e filho desaparecidos, e a cada nova pista abre-se um novo leque de mistérios e novas hipóteses para o crime. Eu não vou contar mais sobre a história porque não quero estragar a sua experiência com este livro.

Uma curiosidade que eu acho super justo você já saber sobre esta obra, é que o escritor Lindoberto Ribeiro é um policial civil aposentado daqui do Distrito Federal, e isso faz com que a narrativa seja bem similar com um relatório policial. Isso quer dizer que temos um narrador em terceira pessoa observador, conciso, direto e objetivo como todo bom policial deve ser quando faz um relato de um crime, o grande diferencial aqui é que o autor consegue deixar a leitura bem fluida e dinâmica, aqui não temos aquele marasmo característico de BO’s feitos em delegacias.

Se prepare para ser guiado pelo narrador por um emaranhado de pistas, soluções, complicações e reviravoltas ate que o caso seja encerrado. Durante a narrativa somos apresentados aos dois detetives e toda a “equipe” que é empregada para a solução do caso, que é achar mulher e filho do milionário americano. Todos os personagens foram bem desenvolvidos dentro do estilo da narrativa, digo isso pois o autor abriu mão dos diálogos, então o nosso narrador conta como é cada personagem, as manias que os diferenciam, suas características psicológicas e sociais, então mesmo não tendo diálogos entre os personagens, não há perda de empatia para com eles.

Um dos grandes pontos altos da história na minha percepção foi a ambientação. A todo momento da história vemos tocaias e observações de pessoas envolvidas com o caso, e a cada ação deste tipo, temos um detalhamento surpreendente de como é o local, suas imediações e de como os detetives a usam em seu beneficio para observar os alvos e baterem suas fotos. Aqui pude sentir um pouco da experiência do Lindoberto Ribeiro como policial.

Uma coisa que eu senti que poderia ter sido um pouco mais aprofundada na narrativa é a seita. Ao terminar o livro todas as perguntas básicas foram respondidas, como: O que é a seita? Como ela raptou mãe e filho? Como eles funcionam no Brasil e no exterior? Qual a ligação da mãe e filho com a seita?

Porém eu sou um cara um pouco (talvez muito) curioso e eu queria muito saber mais sobre a seita que tem uma participação tão importante para a história, eu queria saber mais sobre a convivência dos seus adeptos, de como era a relação dos sequestrados com os membros da seita, quem a fundou e saber mais coisas sobre as orações e reuniões que eles fazem. Isso foi uma percepção minha e isso não quer dizer que a leitura fique menos interessante para você.

Por fim, é claro que eu recomendo a leitura do livro Menino de Deus: A história de um sequestro. Um livro de suspense policial curto, agradável e com um final excepcional, se deixe levar pela narrativa única do autor e sinta-se como um policial lendo um relato de amigos de profissão.

Sinopse

“Menino de Deus: A história de um sequestro é uma obra de ficção, conta a saga de dois detetives particulares, do Rio de Janeiro, e seus auxiliares, em um caso muito intrigante e misterioso. Onde eles são contratados por um americano, que busca reencontrar seu filho e sua ex-esposa, que descumpriu uma ordem judicial da justiça americana, fugiram para o Brasil, onde passaram a viver numa seita religiosa, denominada “Meninos de Deus”, com hábitos alternativos, são muito comuns nas seitas surgidas nas décadas de 60 e 70, oriundas de movimentos hippies”.

Livro: Menino de Deus: A história de uma sequestro
Autor: Lindoberto Ribeiro
Editora: Ler
Páginas: 118

Capa: 7,50
Continuidade: 8,00
Personagens: 9,00
Cenários: 10,00
História: 8,50
Narrativa: 9,00
Diálogos: 0,00*
Revisão: 9,00

Nota Final: 8,71 – Muito Bom.

Tenha um ótimo ponto para ler!

* Como o autor não utilizou de diálogos em sua narrativa, a nota foi zerada e a média foi feita dentro dos outros sete quesitos.

Paulo Souza.

Você irá gostar de ler também:

3 Comentários

  1. Sem dúvida o livro surpreende. Como disse na apresentação: A trama narrada assume proporções nunca imaginada pelos detetives, com o envolvimento da Polícia Estadual carioca, Polícia Federal, FBI e até mesmo a CIA, faz com que os detetives, Nestor e Branco, e seus auxiliares, usem de todos os escassos recursos, aliados a perspicácia original do brasileiro, para solucionar o mistério dos Meninos de Deus.
    Uma novela policial que, com certeza, não aborrecerá o leitor.
    Boa leitura.

  2. Muito obrigado Paulo Souza, pela belíssima critica sobre o meu livro MENINO DE DEUS – A história de um sequestro. Os seus ensinamentos mostrados, por algumas falhas percebidas, com certeza, me guiaram para evita-los nos meus projetos futuros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *