Crítica de Livro | Sob a Redoma

Olá, meu bom leitor.

Hoje venho trazer a crítica do livro “Sob a Redoma” do Stephen King.

Mas antes de falar sobre o livro preciso perguntar algo, você já está participando do sorteio de um ano do Ponto Para ler? Se não clique AQUI e participe, o sorteio é no próximo sábado.

Fico até meio sem jeito de falar sobre um dos grandes mestres da escrita da atualidade. O que ficou evidenciado no decorrer das 900 e tantas páginas do “Sob a Redoma”, aquilo que eu tinha na minha frente era (é) o King em sua melhor forma.

A primeira coisa que eu devo falar, não é um spoiler, mas sim uma dica para que você tenha uma leitura muito mais apurada do que a que eu tive: não foque em querer saber como a redoma surgiu, ela apareceu e está lá para deixar a historia boa, e ponto. Foque nos personagens, nas suas historias, nos segredos que escodem a sete chaves e no que acontece nas entrelinhas.

O livro não é de terror, sim meu bom leitor mesmo sendo do mestre do terror está obra não é de terror, mas sim uma envolvente narrativa com diálogos apurados e acontecimentos de tirar o coração do peito ao final da página.

E mesmo não sendo de terror a historia é recheada de mortes, assassinatos e lutas corporais no melhor estilo do Stephen, então se prepare para limpar um pouco de sangue do rosto durante a leitura.

Não tenho nem o que falar da continuidade da historia, ela vai te agarrar e não te soltar até que você tenha lido a última palavra e ainda fique com aquela sensação de “quero mais”.

Durante a leitura de “Sob a Redoma” me veio à mente a semelhança de outros livros do Stephen King como: “Desespero”, “Dança da Morte” e “O Nevoeiro” que possuem está temática de vários personagens irremediavelmente presos por um só destino. Está é uma fórmula que já estou vendo a ser usada por ele, e muito boa, diga-se de passagem.

Imagine você, um cenário em que todos estão presos em um local sem possibilidades de fuga e que neste grupo tenha um militar que foi retirado do seu exercício, um religioso fanático, um estrategista e etc. E que todos eles tenham que superar as suas diferenças para sobreviver. Aposto que pensando nisto você elaborou uma trama até que bacana, e é isso que o Stephen King tem feito, mas claro que é necessário muito talento e técnica para colocar tudo no papel de uma maneira agradável e não cansativa.

Do mais não tenho muito que falar mais sobre o livro, o que mais posso dizer é: Vá agora ler.

Sinopse

“Em um dia como outro qualquer em Chester’s Mill, no Maine, a pequena cidade é subitamente isolada do resto do mundo por um campo de força invisível. Aviões explodem quando tentam atravessá-lo e pessoas trabalhando em cidades vizinhas são separadas de suas famílias. Ninguém consegue entender o que é esta barreira, de onde ela veio e quando — ou se — ela irá desaparecer.
Os moradores de Chester’s Mill percebem que terão de lutar por sua sobrevivência. Pessoas morrem, aparelhos eletrônicos entram em pane ao se aproximar da redoma e a situação fica ainda mais grave quando a cidade se vê exposta às graves consequências ecológicas da barreira. Para piorar a situação, James “Big Jim” Rennie, político dissimulado e um dos três membros do conselho executivo da cidade, usa a redoma como um meio de dominar a cidade.
Enquanto isso, o veterano da guerra do Iraque, Dale Barbara, é reincorporado ao serviço militar e promovido à posição de coronel. Big Jim, insatisfeito com a perda de autoridade que tal manobra poderia significar, encoraja um sentimento local de pânico para aumentar seu poder de influência. O veterano se une a um grupo de moradores para manter a situação sob controle e impedir que o caos se instaure. Junto a ele estão a proprietária do jornal local, uma enfermeira, uma vereadora e três crianças destemidas.
No entanto, Big Jim está disposto até a matar para continuar no poder, apoiado por seu filho, que guarda a sete chaves um segredo. Mas os efeitos da redoma e das manobras políticas de Jim Rennie não são as únicas preocupações dos habitantes. O isolamento expõe os medos e as ambições de cada um, até os sentimentos mais reprimidos. Assim, enquanto correm contra o pouco tempo que têm para descobrir a origem da redoma e uma forma de desfazê-la, ainda terão de combater a crueldade humana em sua forma mais primitiva.”.

Livro: Sob a Redoma                          Autor: Stephen King

Páginas: 960                                      Editora: Suma de Letras

Capa: 9,50

Continuidade: 9,50

Personagens: 10,00

Cenários: 10,00                                  Nota final: 9,68

História: 9,50

Narrativa: 10,00

Diálogos: 9,50

Revisão: 9,50

Tenha um ótimo ponto para ler!

Você irá gostar de ler também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *