Meu Passado Literário [BEDA #2]

Seguimos com o BEDA e a surpresinha que eu tinha contado no post de ontem é que no meio dessa loucura do que postar vamos fazer uma blogagem coletiva. Ela funciona assim: nos unimos a alguns blogs queridos, que participam do grupo #NomeProvisório, e todo domingo do mês de abril vamos escrever sobre um tema pré-definido. Todos os blogs vão escrever sobre o mesmo tema, mas cada um tem sua peculiaridade e ao final de cada post vou deixar os links para vocês visitarem os outros blogs que entraram nessa loucurinha com a gente. O tema de hoje é Meu Passado Literário e o objetivo é cada um contar como sua história com os livros começou, não tem formato basta contar o que o seu coração literário pedir. Estão prontos?

Ana

Eu não sei direito como minha história com os livros começou, a impressão que tenho é que eu só passei a ter memória a partir dos 5 anos de idade e eles já estavam comigo nessa época. Eu lembro de uma bíblia ilustrada que a minha mãe comprou e eu adorava os desenhos e as histórias, lembro que logo depois ela passou a me dar os quadrinhos da Turma da Mônica e eles me acompanharam por muuuuito tempo. Lembro que nessa época eu me interessei pela coleção do Monteiro Lobato da minha prima. Li Caçadas de Pedrinho e Reinações de Narizinho em um pulo, mas sempre que penso nisso tenho a sensação de que o amor pelos livros já existia antes delas.

Acho que ter uma mãe professora me influenciou nesse ponto porque ela sempre me incentivou a ler e entre família e amigos eu sempre fui reconhecida como a menina que engole livros. Talvez por isso minha mãe conte que as vezes ela tinha até que me tirar dos livros para socializar com as pessoas (Hahahahaha)… Desde essas primeiras lembranças eu nunca mais me separei dos livros, teve momentos que li menos, mas nunca deixei de gostar de ler. Foi assim que conheci Harry Potter e cresci com ele.

Foi na escola que me apaixonei pelos clássicos, graças a duas professoras de literatura que me ensinaram a entender o contexto histórico por trás dos livros e, principalmente, a ler as entrelinhas. Meu autor nacional preferido é o José de Alencar, depois que li Senhora, devorei mais dois livros deles. Amo Dom Casmurro de todo o coração e sempre achei que Capitu não traiu Bentinho. Ainda nessa fase de Ensino Médio, eu estava tão frenética nas leituras que consegui ler um livro por semana durante o 3º Ano. Nunca mais repeti esse feito, mas foi bem legal e me fez conhecer muitos autores nacionais.

Quando entrei na faculdade a carga de leitura ficou pesada e dificilmente eu conseguia ler outra coisa. Esse foi o meu período de maior afastamento dos livros de literatura, porque eu continuava lendo muito. Hoje percebo que tudo que li ao longo da vida teve um papel importante na minha formação como pessoa. Vejo também que meu gosto literário hoje é um pouco diferente do que quando comecei a ler Turma da Mônica lááá atrás. Mas estou tranquila com isso porque acredito que leitura é um processo e quanto mais você lê, mais você sente a necessidade de se desafiar a ler textos mais elaborados e ao longo dessa jornada aprendi também a não julgar as pessoas pelo que elas leem.

Paulo

Eu comecei a ter o interesse pelos livros por conta de um professor substituto no período do ensino fundamental. O cara passou uma semana substituindo a professora que pegou um atestado e durante essa semana ele leu na sala O Hobbit do J. R. R. Tolkien, claro que nesse época eu não fazia a mínima ideia de quem era ele ou o que os livros dele representam, na verdade só fui reencontrar os livros do professor anos depois.

Depois de ouvir as aventuras de Bilbo Bolseiro eu comecei a ser frequentador da biblioteca da escola e li muito Pedro Bandeira, Ziraldo, Maurício de Souza e mais um monte de gente que hoje eu nem lembro, mas que foram me dando a base para quando eu chegasse na minha adolescência. Por conta dos vestibulares acabei conhecendo os grandes clássicos, e vivia com um olho nos livros e o outro fechado no mundo da lua, assim como nas Memórias Póstumas de Brás Cubas do Machado de Assis.

Aí foi só ladeira acima no mundo da leitura, passei pela literatura infantil, infanto juvenil, jovem adulto e agora estou me encantando com a literatura adulta e contemporânea. Dos últimos anos para agora venho me reencontrando com Cem Anos De Solidão do Gabo, Ensaio Sobre a Cegueira de Saramago, A Vida e Proezas de Aléxis Zorbás do Nikos, Meu Nome É Vermelho do Pamuk e vários outros grandes nomes da literatura, claro sem deixar minha leitura anual do Senhor dos Anéis.

**

Essa foi a nossa trajetória com os livros, espero que tenham gostado! E não esqueçam de passar nos outros blogs para conhecer a história deles:

Thami – Eu Li ou Vou Ler

Jeni – Jeniffer Geraldine

Luke – Café com Luke

Cris – Plataforma 9 3/4

Mércia – Amante dos Livros

Você irá gostar de ler também:

8 Comentários

  1. Adorei as histórias de vocês!

    Ana você acredita que meu trabalho de conclusão do meu curso de menor aprendiz foi sobre o livro Senhora do José de Alencar? Esse livro é um baita queridinho meu *-*

    Paulo autor, blogueiro e modelo que você respeita! Adorei a sua história também, meus professores substitutos nunca foram tão legais assim, porém tinha uma professora de português que inclusive é minha vizinha e sempre trazia contos para as aulas para que pudéssemos debater a respeito, e ela adorava trazer contos de mistério e terror <3

    Abraços para vocês dois!!!

    1. Senhora é amor demaaaais! As pessoas que não leram ainda não sabem o que estão perdendo! Aurélia e Fernando são um casal que vale a pena acompanhar! Não fazia ideia do seu trabalho de conclusão, mas deve ter ficado muito legal *-*
      Um beijo, seu lindo!

  2. Precisamos criar o clube “crescemos com a turma dá Mônica” e outro “crescemos com Pedro Bandeira” hhahaha
    Amei saber um pouco de vcs.
    E, eu sempre me pergunto, onde estava quando todo mundo lia O Hobbit e HP? Sério! Ahahahaha
    Bjão ❤

    1. Esse do Pedro Bandeira eu tô passando. Nunca li nadinha dele #shameonme
      Você estava num universo paralelo, Jeni!
      Hahahahaha
      Beijo!

  3. Anaaa vc tbm é filha de professora <3
    A Jennifer tbm! Só da filha de prof nesse grupo hahahah
    Tenho que ler mais clássicos brasileiros, sou pobre nessa parte, só li de José de Alencar Lucíola.
    Paulo, adorei vc ter começado pelo Hobbit, que começo hein! Arrasou!hahahah
    Ainda não li os outros do Tolkien e quero ter para ler.
    Ah e vc leu Meu nome é vermelho do Pamuk!!! Acho que nunca tinha conhecido ninguém que tinha lido tbm! Adorei!
    bjos

    1. Lucíola é bom, mas Senhora é melhor! Leia para ontem que você vai gostar, tenho certeza! O Tronco do Ipê também é bem legal, mas Senhora é a obra prima dele na minha opinião.
      Beeijos!

  4. Casal top da literatura! Vocês dois são uns amores!
    Amei conhecer mais sobre vocês e concordo contigo Aninha, Aurélia e Fernando são imperdíveis, já li Senhora duas vezes e depois de ver você falando, confesso que está na hora de reler novamente hahaha
    Que belo início na literatura o teu em Paulinho!
    Beijão para os dois!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *